A História de Ohashi no Taro

A História de Ohashi no Taro

Em Tsukushi, Japão, havia um general chamado Ohashi no Taro que provocou a ira de um xogum1 chamado Minamoto no Yoritomo, que começou a persegui-lo. Quando se viu prestes a ser capturado, disse à esposa que não lamentava o fato de ser perseguido, mas sim de abandoná‑la grávida e por essa criança crescer sem ter a quem chamar de pai. Profundamente triste, o general partiu.

Passaram-se alguns meses e sua esposa deu à luz um menino. Quando completou 7 anos, ele foi deixado pela mãe em um templo nas montanhas, onde os outros meninos caçoavam dele por não ter pai.

Certo dia, voltou para casa e pediu à mãe que lhe dissesse onde estava seu pai. Ela contou o ocorrido e explicou que não havia ninguém que pudesse informar se ainda estava vivo e falou: “A razão de eu ter lhe enviado ao templo da montanha foi para que você pudesse saldar a dívida de gratidão com seu pai”.

Seguindo esse conselho, o menino retornou ao templo e estudou dia e noite o Sutra do Lótus até memorizá-lo.

Ao completar 12 anos, partiu rumo ao santuário Hachiman e lá orou com o sentimento de saber se seu pai estava vivo. Então, começou a recitar o Sutra do Lótus e uma multidão se juntou ao seu redor. Entre essas pessoas estava a esposa do xogum1, a dama Kyo-no‑nii. Impressionada com a voz daquele jovem, ela reportou o fato ao marido, o qual ordenou que o trouxessem o menino até ele.

No dia seguinte, lá estava o garoto. No momento em que começou a orar, formou‑se um grande alvoroço. Curiosas, as pessoas que se aglomeravam perguntavam qual era a razão do tumulto e foi aí que alguém gritou: “Hoje, o prisioneiro será decapitado!”.

O jovem logo pensou em seu pai. Observando a reação do menino, o xogum o forçou a dizer quem ele era. Após revelar os acontecimentos do passado, esse comandante mandou parar a execução. Imediatamente trouxeram seu pai, ainda amarrado com cordas. O xogum não só libertou Ohashi no Taro, mas também devolveu os bens da família que havia confiscado.

Entenda melhor

Em 1276, Nichiren Daishonin escreveu a carta A História de Ohashi no Taro e a endereçou a Nanjo Tokimitsu. O pai de Nanjo havia falecido quando ele estava com 7 anos. Isso forçou o jovem discípulo a assumir responsabilidades ainda na adolescência. Ele recebeu esta carta aos 18 anos.

Nela, Daishonin louva a sinceridade da fé de Tokimitsu e declara que isso reflete a profunda fé do seu pai no Sutra do Lótus. Disse ainda que tal postura era uma forma de saldar as dívidas de gratidão que o jovem tinha. Em seguida, o buda Nichiren Daishonin relata a história de Ohashi no Taro como exemplo de um filho que conseguiu salvar a vida do pai por meio da fé no Sutra do Lótus.

Nota:

1. Xogum: comandante do exército japonês.

Envie seu comentário