O laço que nos une é invencível e eterno

O laço que nos une é invencível e eterno

Oro intensamente pela saúde e segurança absoluta dos “amigos sem coroa” que entregam o Seikyo Shimbun diariamente numa época em que o clima é muito instável.

Nichiren Daishonin, o Buda dos Últimos Dias da Lei, está testemunhando o esforço da família Soka que se dedica em prol da felicidade dos amigos sem se importar com o próprio sofrimento.

No dia 27 de fevereiro, as inesquecíveis senhoras da França que mantêm uma prática da fé genuína desde os primórdios da organização de base visitaram o Japão. Minha esposa teve a oportunidade de reencontrá-las no Centro Internacional das Mulheres onde aconteceu uma agradável roda de conversa.

“Compartilhem com um amigo as alegrias e as tristezas”.

Não há nada mais nobre e belo que a união dos associados que se incentivam compartilhando as alegrias e as tristezas da vida.

Para “descortinar a nova era” e “criar a história”, os nobres membros franceses se desafiaram a conquistar seus objetivos individuais, a vencer no dia de hoje e a manter a prática da fé de água corrente. E unindo seu coração ao dos companheiros europeus e do mundo inteiro vêm orando para o avanço vitorioso do kosen-rufu de todo o Japão.
Nichiren Daishonin afirma: “Ao contrário da maioria das pessoas, no curso da divulgação dessas minhas doutrinas, eu, Nichiren, tenho a oportunidade de me encontrar com muitas pessoas”.

“Encontrar-se com as pessoas” e “dialogar com os amigos” — são nossos desafios em prol do “estabelecer o ensinamento correto para a pacificação da terra”. E nossa ação está ligada diretamente ao coração de Nichiren Daishonin e é a essência do exercício budista. Por isso, não há como não evidenciar a coragem, a sabedoria e a benevolência do buda em nossa vida.

Está registrado no tratado Estabelecer o Ensinamento Correto para a Pacificação da Terra o segredo para o mais profundo diálogo.

Como companheiros contemporâneos, devemos observar atentamente as atuais questões sociais e ouvir sinceramente a opinião dos outros. E além de receber as opiniões contrárias com sorriso, precisamos acreditar na natureza de buda do outro dialogando com sabedoria e determinação.

“Unir-se aos amigos na sala de orquídea” com um sincero diálogo torna-se a força criadora da paz e da tranquilidade em sua localidade e no mundo.

Envie seu comentário