Objetivos pessoais — é preciso perseverar

Objetivos pessoais — é preciso perseverar

No início deste ano, com muita esperança, projetamos sonhos e objetivos. Mas o tempo vai passando, a esperança se esvaindo, o sonhos dispersando… Até que, quando nos damos conta, chegamos ao fim do ano. Podemos até questionar porque alguns companheiros conquistaram e realizaram metas e nós não. É hora de renovar nossas decisões e sermos vencedores! Afinal, o ano ainda não acabou! Inúmeros fatores podem ser determinantes. Vamos refletir?

Existem vários métodos de planejamento de objetivos adotados por empresas e entidades no mundo inteiro como é de nosso conhecimento. O importante é saber como aplicá-los em nossa vida diária.

Precisamos definir e escrever detalhadamente, pesquisar as informações relacionadas aos objetivos, listar os pontos negativos e verificar se valerá a pena; saber qual a ação que vamos empreender, definir prazos, pois se for longo poderemos reavaliá-los periodicamente. Quando escrevê-los, compartilhar com os amigos. Segundo Nichiren Daishonin afirma em seus escritos: ”Mesmo um único indivíduo com propósitos contraditórios consigo mesmo é certo terminar em falha, mas uma centena ou um milhar de pessoas unidas em espírito certamente têm sucesso”.

Para alcançar sucesso, em primeiro lugar, devemos refletir sobre o nosso projeto de vida para construir os objetivos pessoais, materializar sonhos e concretizar ideais. É guiar, conduzir a vida e não deixar apenas que as coisas aconteçam como diz o ditado popular: “Falar é fácil, difícil é fazer”.

As circunstâncias desfavoráveis surgirão, mas a nossa disposição é que mantenhamos nossas metas até o fim. Nichiren Daishonin nos alerta: ”O que é costumeiro no tolo é esquecer nas horas cruciais o que prometera nas horas normais”. Não podemos esquecer que o nosso Mestre afirma que somos Budas e temos um potencial infinito.

O importante é refletirmos sobre a vida que estamos levando e o que estamos fazendo com ela. Essa atitude nos fará uma pessoa realizada. Além disso, precisamos de um projeto de vida. Ter uma visão estratégica pessoal. Essa visão faz com que a pessoa veja um determinado horizonte. Precisamos ter a convicção de que vamos vencer. Nada é impossível quando se tem uma firme e resoluta fé.

No escrito “Carta a Niike” consta: ”A jornada de Kamakura a Quioto leva doze dias. Se parar no décimo primeiro, como poderá admirar a Lua da capital?”.

Não podemos esquecer que os objetivos são de curto, médio e longo prazo. Devemos pensar do mais macro para o mais particular, conquistando as metas de menor alcance para que os objetivos maiores sejam atingidos satisfatoriamente. Para isso, o que vamos fazer diariamente para conquistar nossos objetivos? Perseverar — não basta escrevê-los num papel, o sucesso é conquistado à base de muito esforço. As realizações são concluídas com ações.

A construção do nosso destino é obra pessoal, fruto de nossas opções diárias, do nosso pensamento criativo e positivo.

Com certeza, companheiros, conseguiremos nossos objetivos baseando-nos na prática budista, conforme o Mestre nos orienta sobre uma vida de satisfação pessoal, contribuição social e vitória: “A fé deve ser aprofundada no curso de toda a existência, com um compromisso perpétuo, com o desenvolvimento humano e o crescimento espiritual”.

Envie seu comentário