Uber permitirá que motoristas mulheres optem por transportar apenas passageiras

Uber permitirá que motoristas mulheres optem por transportar apenas passageiras

Chamada de U-elas, ferramenta começa a funcionar a partir de novembro em três cidades-piloto

Mulheres parceiras da Uber agora poderão optar por atender apenas passageiras. A novidade integra o pacote Elas na direção, lançado pela empresa.

A iniciativa será implantada a partir de novembro, a princípio, em três cidades brasileiras: Campinas, Curitiba e Fortaleza. Demais localidades contempladas pelo aplicativo serão incluídas no projeto a partir de 2020. Batizada de U-elas, a ferramenta que permite escolher o gênero do público poderá ser ativada ou desativada a qualquer momento.

Segundo a Uber, as mulheres correspondem a apenas 6% da base de 600 mil motoristas e parceiros. O novo recurso busca estimular a adesão feminina ao app de transportes, já que, de acordo com um levantamento empresa, 64% das motoristas identificam a segurança como principal entrave para começar a dirigir na plataforma. A dificuldade de acesso a um carro foi citada por 34% das entrevistadas.

“Esperamos que esse seja um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo com a plataforma para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência que é marca registrada da Uber”, afirma a diretora geral da Uber no Brasil, Cláudia Woods.

Fruto de uma parceria entre a Uber, a Rede Mulher Empreendedora e a economista Gabriela Mendes, o Programa Elas na Direção inclui descontos especiais no aluguel de veículos em unidades da Localiza Hertz situadas nas três cidades-piloto. A locadora também vai dispensar a exigência de cartão de crédito para mulheres cadastradas no app, mas que nunca realizaram uma viagem.

Outra vantagem oferecida pelo Elas na Direção é a garantia de renda mínima de R$ 1.500 nas primeiras 100 corridas.

Envie seu comentário