Ufam concede título Honoris Causa ao fundador da Soka Gakkai, Daisaku Ikeda

Ufam concede título Honoris Causa ao fundador da Soka Gakkai, Daisaku Ikeda

Ufam concede título Honoris Causa ao fundador da Soka Gakkai e firma protocolo de intenções com a Universidade japonesa

“Hoje é um dia memorável e que ficará sempre marcado em nossas mentes e em nossos corações”. As palavras do reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), professor Sylvio Puga, traduziram de forma precisa o sentimento da comunidade acadêmica desta instituição centenária cravada na maior área de floresta urbana do País. O discurso foi de agradecimento ao professor Yoshihisa Baba, reitor da Universidade Soka, que, além de assinar um protocolo de intenções com a Ufam e inaugurar a sala de apoio à parceria, também representou o presidente fundador da Soka Gakkai Internacional e líder mundial Daisaku Ikeda, laureado com o título de doutor Honoris Causa.

Esses três momentos representam um marco para a consolidação de uma parceria em prol da Amazônia e dos valores pregados pelo humanista, pacifista e ambientalista Daisaku Ikeda ao longo de toda a sua trajetória pessoal e profissional. “Trago os sinceros agradecimentos do doutor Ikeda, alguém que sempre foi um entusiasta da juventude e cujos principais objetivos sempre foram educar com valores humanistas e cultivar a paz e o bem-estar da sociedade”, disse o chefe da comitiva. “O nosso fundador diz que o estudo não se resume apenas ao conhecimento, mas no atuar em favor das outras pessoas”, completou Yoshihisa Baba.

Segundo ele observou, a Ufam e a Soka Universidade têm muitos pontos de ressonância, o que facilitará bastante o intercâmbio de pessoas e de ideias, bem como a realização de uma série de atividades conjuntas. “Nós consideramos a Ufam como a nossa irmã mais velha, e ficamos honrados em contribuir, junto com ela, para melhorar a vida das pessoas e das comunidades locais”, destacou o professor Baba.

A respeito do protocolo de intenções firmado pelos dois reitores, o professor Sylvio Puga reiterou que ambas as instituições possuem objetivos comuns, inclusive citando a preocupação com a Amazônia e suas populações como um deles. “Há mais de 110 anos, nós formamos profissionais para o Amazonas e para o mundo, e temos muito orgulho de fazer isso aqui no meio da região amazônica. Essa parceria só vem enriquecer ainda mais os nossos objetivos de internacionalização de todas as áreas da Ufam e abrir um leque de oportunidades no ensino, na pesquisa e na extensão”, afirmou o professor Sylvio Puga.

“O que estamos fazendo aqui não é apenas a assinatura de um papel, pois as duas universidades são fortemente comprometidas com temas afins e comungam dos mesmos objetivos”, argumentou , resgatando ainda a metáfora da irmã mais velha que fora atribuída à Ufam: “Como irmã mais velha, pretendemos mais aprender com vocês do que ensiná-los”.

Inauguração

A inauguração da sala de apoio interinstitucional, que será compartilhada pela Federal do Amazonas e pelo Instituto Soka Amazônia, seguiu-se imediatamente após a assinatura do protocolo de intenções. Participaram do descerramento da faixa, além dos dois reitores, a assessora de Relações Internacionais e Interinstitucionais da Ufam, professora Leda Brasil, e o pró-reitor de Extensão, professor Ricardo Bessa. Eles têm um importante papel na efetivação das atividades conjuntas daqui para frente, atuando para tornar exequíveis os projetos a serem viabilizados a partir da relação já formalizada.

Chamada “Sala da Cidadania Ambiental”, o espaço será direcionado para a realização de reflexões, reuniões, seminários e simpósios relativos ao acordo de cooperação técnica entre Ufam, Instituto Soka Amazônia e Brasil Soka Gakkai Internacional (BSGI). Ao fundo, uma parte significativa do mapa mundi traça a “rota da cidadania ambiental”, cujo objetivo é ligar, através da Ufam e da Universidade Soka, a América do Sul e a Ásia. Resumindo a proposta que se concretiza desde agora, o reitor da Ufam foi enfático: “Vamos trabalhar ombro a ombro sim, principalmente pelos nossos irmãos ribeirinhos”.

O presidente da BSGI, Miguel Shiatori, aproveitou para comentar sobre a participação dele no Seminário ‘Diálogos e Soluções possíveis – Educação Ambiental, Urbanização e Sustentabilidade’, ocorrido na cidade de Humaitá, a 697 km de Manaus, nos dias 24 e 25 de abril passado. “Estou muito admirado pela postura de transcendência de questões pessoais dos representantes desta Universidade para trabalharem em favor de toda a sociedade”, elogiou o gestor da SGI Brasil.

Em complemento, o pró-reitor de extensão, professor Ricardo Bessa, lembrou que, do referido evento, foi formulada a “Carta de Humaitá”, documento que sintetiza os objetivos do grupo de instituições parceiras. “O seminário internacional visa a transformação urbana e ambiental de Humaitá, com destaque para a questão da coleta seletiva e da reciclagem para eliminar o lixão que persiste na cidade. Também será criado um banco de sementes para a valorização das espécies nativas, como o oitizeiro e o pau pretinho, tudo isso com o apoio da Universidade Soka e do Cepeam”, disse o titular da Proext.

Honoris Causa

O momento mais solene do encontro interinstitucional foi, sem dúvida, a outorga do título de doutor Honoris Causa ao educador, filósofo, escritor e pacifista Daisaku Ikeda. Já com mais de 90 anos, o homenageado não pôde estar presente na cerimônia, razão por que o reitor da Soka Universidade recebeu em nome dele o diploma e uma recordação que simboliza a cultura local – uma peça de tapeçaria trançada por indígenas da região.

Antes da entrega do título, a plateia emocionou-se assistindo ao vídeo que resumiu a trajetória de vida do laureado. Nascido em 1928, ele atravessou os horrores da Segunda Grande Guerra ainda na juventude, quando seus irmãos foram recrutados. Ao longo da vida, além de mais de 380 títulos Honoris Causa, acumulou sabedoria e confiança na educação e na juventude. Sua incansável luta em favor do meio ambiente e da paz também ecoou através dos continentes, especialmente por meio de sua atuação por mais de meio século como presidente da Soka Gakkai Internacional (SGI).

Outras informações importantes sobre o homenageado foram trazidas no discurso do professor Gerson Nakagima, da Faculdade de Medicina da Ufam. “Ele é uma figura de uma distinção ímpar, que não se vê no cotidiano. Durante gerações, ele vem ensinando sobre os valores sociais da moral, da paz, da dignidade e do desenvolvimento humano; ele prega a coexistência pacífica entre o Homem e a natureza”, destacou o docente.

Mesmo estando a uma distância de quase meio planeta da capital amazonense, o professor Ikeda se fez presente na solenidade pelo seu discurso, lido pelo representante. “É uma grande alegria e um grande orgulho na minha vida receber esta bela homenagem de tão prestimosa universidade, com seus gloriosos 110 anos. A Ufam é envolta numa esplendorosa floresta e, com certeza, o seu ‘maior patrimônio’ é a biodiversidade da Amazônia, da qual ela também é guardiã”, leu o reitor Yoshihisa Baba.

Envie seu comentário