Viver cada dia com responsabilidade faz parte de nosso auto-aprimoramento

Viver cada dia com responsabilidade faz parte de nosso auto-aprimoramento

Muitas pessoas confudem responsabilidade com falta de liberdade. Isto não é verdade. Ser livre é viver com responsabilidade.

Em todos os locais, cada ato, cada palavra, cada gesto nosso indica se somos ou não responsáveis. Por exemplo, marcar um encontro com alguém e faltar ou se atrasar e não comunicar a pessoa indica irresponsabilidade.

Como jovens, precisamos agir sempre com grande senso de responsabilidade, pois é principalmente na juventude que polimos o caráter e pavimentamos o caminho da vida.

Pois é, amigos, ser responsável não implica perder a liberdade nem ser uma pessoa quadrada, chata e séria como muitos pensam. Ser responsável é saber valorizar ainda mais nossa vida e a dos demais. Com nossas atitudes, podemos conquistar a confiança dos outros ou destruí-la de vez, podemos cumprir dignamente nossa missão ou perder a oportunidade. A responsabilidade por sua vida está em suas mãos, então, mãos à obra!

Quando se fala em responsabilidade, muitos jovens vão logo torcendo o nariz, pensando: “Lá vem cobrança!” Parece que tudo o que é maçante, tedioso e trabalhoso está relacionado com a palavra “responsabilidade”.

Mas a verdade é que se as pessoas não tiverem um mínimo de responsabilidade e comprometimento umas com as outras, torna-se muito difícil viver em sociedade. É fácil verificar isso. Imagine, por exemplo, como se sentiria se alguém marcasse um encontro com você e faltasse sem avisar nem dar satisfações. E em uma seleção de candidatos para um emprego, qual teria mais chances: o responsável ou o irresponsável?

Quando falhamos em cumprir nossas responsabilidades, tornamos-nos alvo de desconfiança e ressentimento das outras pessoas. Há ocasiões em que, até mesmo cumprindo nossas responsabilidades, somos criticados.

Entretanto, antes de pensarmos em ser responsáveis com outras pessoas, não seria melhor nos concentrarmos em sermos responsáveis com nós mesmos? Ser sincero consigo mesmo forma a base para cultivar a confiança das outras pessoas e cumprir as responsabilidades com elas torna-se algo natural.

Como praticantes budistas, temos a oportunidade de fazer uma reflexão diária sobre nossas atitudes por meio da prática da fé. Ao realizarmos nossas orações ao Gohonzon, podemos enxergar melhor nosso “eu” interior e polir nossa vida, conseguindo tomar atitudes corretas no momento certo.

Independentemente das características de cada um, se desejamos nos tornar pessoas realmente felizes, devemos nos esforçar para nos aprimorar como seres humanos. O primeiro passo é tornarmo-nos pessoas que realmente mereçam a confiança dos outros.

Ao longo da história, pessoas de diversas culturas viram-se obrigadas a cumprirem seus papéis dentro de uma sociedade muitas vezes de forma opressiva e imposta pelas autoridades. Com o fortalecimento da democracia e a luta pelos direitos humanos, as pessoas passaram a ter cada vez mais autonomia para decidirem sobre sua vida. Com essa abertura, aumentou também a necessidade de manifestar maior consciência sobre os próprios atos. Esse é um aspecto do conceito de soft power exposto pelo presidente Ikeda em sua palestra na Universidade de Harvard em setembro de 1991.

Como jovens, somos os precursores de uma nova sociedade que se embasará nessa mentalidade mais livre, mas que cada vez mais terá de se alicerçar na consciência individual e na responsabilidade de cada um.

Portanto, que tal começarmos com as pequenas responsabilidades do dia-a-dia? A responsabilidade é algo natural ao ser humano, portanto, vamos encará-la de forma normal e procurar nos esforçar para aprimorar a cada dia. Só teremos a ganhar com isso.

Envie seu comentário